XANDE DE PILARES

» Programação

XANDE DE PILARES

08 de agosto de 2019

Quinta-Feira

21:00

Auditório Araújo Vianna

- Porto Alegre - RS

Ele leva Pilares no nome, mas foi no Morro da Chacrinha, na Zona Norte do Rio de Janeiro, que a história musical de Xande começou. “Lá em casa tinha um quintal enorme. E todo mundo fazia festa. Um tio tocava violão, outro cavaquinho e bandolim. Meu avô, acordeão. 

Minha avó e minha mãe cantavam. Faziam grandes reuniões e eu, pequenininho, ficava quieto assistindo a tudo”, lembra o cantor e compositor, que nasceu em 1970.  Quando era criança, o filho de Dona Maura e Seu Custódio quase não saía de casa. A mãe severa não deixava o menino brincar pelos caminhos do morro “pra não virar marginal”. “Foi uma das frases que eu mais ouvi durante a infância!” Só restava ao pequeno Alexandre uma alternativa: o violão, que ficava no canto da sala. “Fui aprendendo a tocar com meu tio Mauro Roberto e também com aquelas revistinhas que mostravam a posição dos dedos.” 

As influências musicais foram chegando, sempre embrulhadas para presente. “No Natal, ganhava dois LPs: um do Roberto Carlos, que eu adorava, e um de samba: Martinho da Vila, Elza Soares, Jorginho do Império, Benito de Paula, Agepê, Bezerra da Silva, Dicró, Clara Nunes, Cartola, Nelson Cavaquinho…. Tinha também influência da música importada. Me lembro dos meus tios fazendo aqueles cabelos black-power com garfos. Gostava de Jackson Five, James Brown, Ray Charles e AC/DC.” 

Quando uma tempestade destruiu a casa no Morro da Chacrinha, a família se mudou para o Morro do Andaraí e, depois, para São Gonçalo. Em 1981, atravessou o viaduto de Pilares e foi morar na comunidade Águia de Ouro, colada ao cemitério de Inhaúma, que virou seu quintal. Foi lá que perdeu medo de cemitérios, já que era o local de soltar pipa e comer manga no pé. 

Durante os anos 80, levado pelo seu primo Guará, começou a frequentar os pagodes que se espalhavam pelo subúrbio do Rio de Janeiro. O Cacique de Ramos foi o primeiro que conheceu. “Eu era só um menino em volta daquela mesa tentando chegar perto para poder ver! Ver a Beth Carvalho, o Zeca Pagodinho, o Arlindo Cruz e Camunguelo que, de repente, largava a flauta e mandava um verso. 

Até então eu ainda não conhecia verso de partido alto. Tinha aprendido a versar de outro jeito, com as festas da Folia de Reis  que tinham no morro.” Nesta mesma época, frequentava o Pagode do Boleiro, o da Beira do Rio e o Pagofone do Cachambi. 

Aos 16 anos, começou também a tocar pelos pagodes. “Um dia, em Pilares, passei num lugar que tinha um botequim pequenininho e esse pessoal estava cantando um samba. Achei lindo, mas não sabia a letra. Cheguei em casa, peguei o caderno e fiz uma letra por cima daquela melodia, uma paródia. Até que um dia, em um pagode do Engenho da Rainha, me falaram que a música era do Thundi. E que se ele me visse cantando com a outra letra, ia me dar uns cascudos! Aprendi a letra certa!” A música era “Velocidade da Luz” e logo entrou para o repertório de Xande, que foi passando pelos pagodes e rodas de samba da cidade. 

Tocava em barzinhos no intervalo dos estudos e do trabalho como metalúrgico. “Pegava meu cavaquinho, fazia um free-lance, ganhava um dinheiro, me divertia. Frequentava e tocava no Pagode da Geci, no Compasso da Vila, no Risco de Vida, na Adega do Sambola”, relembra. 

Participou do programa de auditório da extinta Rádio Tropical, importante divulgadora do samba no fim dos anos 80. Lá, se apresentava no programa e “ficava torcendo para ser escalado, para a família se reunir e me ouvir cantando no rádio”. 

O Revelação se formou em 1992 com Xande na voz e no cavaquinho, Luciano Nascimento (tan tan), Sérgio Rufino (repique de mão), Alexandre Brasilia (pandeiro), Ronaldo Chagas (violão) e Artur Luís (reco-reco). 

O pagode toda quinta feira na quadra da Escola de Samba Acadêmicos da Abolição ficou famoso. Mas o grupo só lançou seu primeiro disco em 1999. Foram ao todo nove álbuns, quatro DVDs e mais de dois milhões de discos, sem contar as coletâneas e participações. “Os sucessos, muitos: “Velocidade da Luz”, “Tá Escrito”, “Mulher Traída”, “Coração Radiante”, “Só Vai de Camarote”, “Grades do Coração” e “ Deixa Acontecer” . 

As composições e parcerias de Xande também estão na voz de vários intérpretes. “Samba de Arerê” (Xande/Arlindo Cruz /Mauro Jr) foi gravada por Beth Carvalho e Diogo Nogueira. Maria Rita escolheu “Mainha me Ensinou” (Xande/Arlindo Cruz/ Gilson Bernini), “Bola pra Frente” (Xande/ Gilson Bernini) e “Nunca Se Diz Nunca” (Xande/Leandro Fab/Charlles André). Leci Brandão gravou “Perdoa” (Xande/Helinho Salgueiro) e” Meu Oceano” (Helinho do salgueiro / Xande de Pilares / Mauro Junior). 

Com a fadista portuguesa Raquel Tavares, compôs “Aceita” e com o cantor americano David Elliot , filho Dionne Warwick, “My Moon”. 

Em 2014, ganhou seu primeiro samba-enredo no Salgueiro, sua escola de coração. “Gaia, a vida em nossas mãos” (Xande de Pilares/Dudu Botelho/Miudinho/Betinho de Pilares/Rodrigo Raposo/Jassa) foi um samba nota dez e conquistou os prêmios Estandarte de Ouro e Tamborim de Ouro. 

E Xande segue se reinventado e experimentando. O cantor e compositor, que é do elenco do programa “Esquenta!” (Rede Globo), apresentado por Regina Casé – estreou em 2014 no cinema. Contracena com Regina em “Made in China”, filme de Estevão Ciavatta. Xande gravou o cd “Perseverança”, seu primeiro álbum solo 

Classificação

Duração

75min
aproximadamente

Compartilhar

As opiniões expressas nos espetáculos da Programação Cultural da Opus, são de responsabilidade de seus criadores e não refletem necessariamente a posição da Produtora, Parceiros e Patrocinadores.

» Mapa de Plateia

Mapa de plateia

» Localização

VALORES DOS INGRESSOS

Clube Hits - Plateia Alta Lateral I
R$ 68,00

Clube Hits - Plateia Alta Lateral II
R$ 80,00

Clube Hits - Plateia Baixa Lateral I
R$ 84,00

Clube Hits - Plateia Baixa Lateral II
R$ 96,00

Clube Hits - Plateia Alta Central I
R$ 100,00

Clube Hits - Plateia Baixa Central I
R$ 108,00

Clube Hits - Plateia Alta Central II
R$ 112,00

Clube Hits - Plateia Baixa Central II
R$ 120,00

Clube Hits - Plateia Gold I
R$ 136,00

Clube Hits - Plateia Gold II
R$ 148,00

1º Lote - Plateia Alta Lateral
R$ 170,00

2º Lote - Plateia Alta Lateral
R$ 200,00

1º Lote - Plateia Baixa Lateral
R$ 210,00

2º Lote - Plateia Baixa Lateral
R$ 240,00

1º Lote - Plateia Alta Central
R$ 250,00

1º Lote - Plateia Baixa Central
R$ 270,00

2º Lote - Plateia Alta Central
R$ 280,00

2º Lote - Plateia Baixa Central
R$ 300,00

1º Lote - Plateia Gold
R$ 340,00

2º Lote - Plateia Gold
R$ 370,00

Comprar Ingresso

CANAIS DE VENDA OFICIAIS
*sujeito a taxa de conveniência

Bilheteria Auditório Araújo Vianna
Avenida Osvaldo Aranha, 685, Parque Farroupilha - Porto Alegre - RS. Somente em dias de apresentação, a partir das 16h.

Teatro do Bourbon Country
Avenida Túlio de Rose, 80 / 301 - Porto Alegre, RS. De segunda a sábado, das 13h às 21h; domingos, das 14h às 20h.

Bilheteria do Teatro Feevale
ERS-239, 2.755 - Novo Hamburgo, RS. De segunda a sexta-feira, das 9h às 21h; sábados, das 9h às 13h.

Uhuu
https://uhuu.com
falecom@uhuu.com

DESCONTOS

50% de desconto para sócios e um acompanhante do Clube do Assinante RBS, limitado a 100 ingressos, somente na sessão de estreia. Vendas somente na bilheteria do Teatro.

40% de desconto para clientes Panvel Fidelidade, mediante apresentação do cartão Panvel. Valido para até 02 ingressos.

40% de desconto para sócios e um acompanhante do Clube do Assinante RBS. Vendas somente na bilheteria do Teatro. Válido apenas para sessão de estreia.

40% de desconto para titulares dos cartões Zaffari Card e Bourbon Card e um acompanhante.

** Política de venda de ingressos com desconto: as compras poderão ser realizadas nos pontos de venda físicos, mediante apresentação de documentos que comprovem a condição de beneficiário. Nas compras realizadas pelo site e/ou call center, a comprovação deverá ser feita no ato da retirada do ingresso na bilheteria e no acesso às casas de espetáculo.

» Newsletter

Cadastre-se para receber nossa newsletter e participar de promoções.

Nome:

Email:

© 2019 Opus Promoções